segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Educação pública prioridade em Santa Catarina? Só pode ser piada!

Nos últimos oito anos de governo foram criadas 36 secretarias de desenvolvimento regional em todo o Estado, porém pouca prioridade foi dada para a educação pública.


Por Luiz Heinzen, tesoureiro do Sinsepes e professor da Furb*

               
             Em época de eleição, mas somente nesta época, a educação pública vira prioridade para os políticos em nível municipal, estadual e federal. Porém, passadas as eleições, tudo cai no esquecimento. O descaso com a educação vem de longa data. Em nosso estado não é diferente.    Nos últimos oito anos de governo foram criadas 36 SDR (Secretaria de Desenvolvimento Regional), porém pouca prioridade foi dada para a educação pública. Nosso estado é um dos estados brasileiros que entrou com Ação Direta de Inconstitucionalidade alegando não poder pagar o piso nacional estabelecido para os professores.
            Ao mesmo tempo, paga oito aposentadorias para ex-governadores, cuja média é de R$ 21.222,34. E o descaso não para por aí. As SDR empregam em seus quadros professores com salários (média salarial) que vão de R$ 3.005,04 (SDR – Tubarão, com 14 professores) a R$ 4.637,35 (SDR – Maravilha, com 20 professores). A SDR de Blumenau tem 20 professores, cuja média salarial é de R$ 3.434,02. Já os 17.733 professores efetivos que atuam em sala de aula recebem, em média, R$ 2.459,97. Os 9.130 ACT (Admitidos em Caráter Temporário) com Licenciatura Plena (Habilitação 300) recebem uma média de R$ 1.190,05 e os 6.052 que tem apenas Segundo Grau (Habilitação 100) tem média salarial de R$ 827,85.
            Observe que professores lotados nas SDR recebem, no mínimo, 20% e no máximo 90% a mais que os professores efetivos que estão em sala de aula. Claro que, com essa política de remuneração, todos que tiverem oportunidade, deixarão as salas de aula para ocupar cargos nas SDR. Outro dado interessante é que o número de professores Admitidos em Caráter Temporário chega a 15910, quase 90% dos efetivos lotados na Secretária Estadual de Educação. Se a preocupação com a educação realmente existisse, é claro que esta situação não ocorreria.

Veja no quadro abaixo algumas lotações e remunerações
de professores em vários órgãos estaduais.

Quantidade
Lotação
Média salarial
Observação
7
SEA
R$ 6.792,07

9

SDR –
Maravilha
R$ 4.637,35
Maior
Renumeração
SDR
20
SDR –
Blumenau
R$ 3.434,02

14
SDR –
Tubarão
R$ 3.005,04

Menor
Remuneração
SDR
17.733
SED
R$ 2.459,97
Professores
Efetivos
9.122
SED
R$ 1.190,05
ACT – Hab 300
42
SED
R$ 997,69
ACT – Hab 200
12
SED
R$ 991,41
ACT – Hab 150
336
SED
R$ 949,41
ACT – Hab 030
6.052
SED
R$ 827,85
ACT – Hab 100
346
SED
R$ 777,75
ACT – Hab 010

Siglas: SEA= Sec. de Estado de Administração. SDR= Sec. de Desenvolvimento Regional.
SED= Sec. de Estado de Educação.
Fonte: Folha de Agosto de 2010 (última disponível no sitio da Secretaria Estadual da
Fazenda de Santa Catarina. http://www.sef.sc.gov.br/auditoria/images/stories/GEAPE/
Acomp%20Mensal%20082010/medias%20rem%20cargo%20orgao.pdf

* Texto originalmente publicado no Jornal Expressão Universitária Sinsepes ano Ano 3 - Número 17  - Fevereiro.2011
http://www.sinsepes.org.br/

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

COMITÊ PRÓ-FEDERALIZAÇÃO DA FURB
INFORMATIVO nº 1/2011
Blumenau (SC), 23 de fevereiro de 2011.
 
2011: ANO DECISIVO PARA A FURB FEDERAL
 
Durante a reunião da Coordenação Colegiada do Comitê Pró-Federalização da FURB, realizada no último dia 8 de fevereiro, foi deliberado que a primeira reunião plenária (aberta) do Movimento FURB Federal será no dia 25 de fevereiro, sexta-feira, das 16h às 18h.
Na oportunidade, a Coordenação aproveitou para realizar uma análise da situação e aprovou alguns encaminhamentos para o início das atividades deste ano.
1.      Embora Fernando Haddad tenha permanecido como ministro da Educação, mudanças estão ocorrendo nas secretarias do Ministério. No caso da Secretaria de Ensino Superior (SESu), a prof. Maria Paula Dallari foi substituída pelo prof. Luiz Cláudio Costa (da Universidade de Viçosa/MG). Estamos acompanhando as mudanças para identificar os novos interlocutores do Movimento.
2.      Na Câmara Federal, onde tramita o projeto de lei originário do Senado Federal, também haverá modificações nas composições das comissões internas. Assim que as mesmas estejam constituídas, e definidos os relatores do projeto, nas quatro comissões por onde ele passará, o Comitê encetará os contatos visando restabelecer as negociações e instar a tramitação da matéria.
3.      Estamos com dificuldades burocráticas para liberar os recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) − provenientes das duas emendas parlamentares. No momento, aguardamos a assinatura do Termo Aditivo dos respectivos convênios para viabilizar os repasses. No entanto, considerando que a FURB encontra-se inscrita no Cadastro de Inadimplência (CADIM), não temos certeza de que as assinaturas dos termos aditivos serão suficientes para a liberação imediata dos recursos.
4.      A Coordenação Colegiada do Comitê esteve reunida com o reitor, professor João Natel, que passou a integrá-la, para definir procedimentos que permitam a contratação dos serviços previstos nos estudos técnicos. Ainda esta semana, a Comissão responsável pela elaboração e acompanhamento dos estudos será recomposta e retomará as suas atividades.
5.      Com a sinalização positiva da Reitoria, retomamos os contatos para viabilizar a realização dos estudos técnicos e a parceria com a UFSC, com vistas à elaboração do Plano Político Pedagógico, a ser encaminhado ao MEC ainda neste primeiro semestre de 2011.
6.      Igualmente, a Coordenação reunir-se-á com a Presidência da AMMVI para tratar da mobilização regional.
7.      Por fim, para darmos continuidade às atividades do Comitê, selecionamos o novo bolsista que nos apoiará na secretaria.
Conforme o último informe do ano passado, entendemos que 2011 será decisivo para o Projeto FURB Federal. Fortaleceremos nossa estratégia, concebida para a implantação de uma Universidade Federal em nossa região. A participação de todas/os é fundamental.
Ao retomarmos nossa mobilização, contamos com a sua presença na reunião plenária do dia 25 de fevereiro, sexta-feira, das 16h às 18 horas, na Sala C-206, do Campus I.
PAUTA
·                   Informes
·                   Planejamento Estratégico do 1º Semestre de 2011
 
Coordenação Colegiada do Comitê Pró-Federalização da FURB
 

Comitê Pró-Federalização da FURB
Fundação Universidade Regional de Blumenau   
Rua Antônio da Veiga, 140. Campus I, Sala C-200.
89012-900 Blumenau SC
Fone: (47) 3321-0940
Correio-e: furbfederal@furb.br 

 

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Porque você deve apoiar a FURB federal

Josué de Souza

            Desde 2002 que o debate sobre a Federalização da Universidade Regional de Blumenau (FURB) faz parte do dia a dia da nossa cidade.  Creio que é pertinente discorrer aqui um pouco sobre o Projeto de Federalização da nossa Universidade.
            Primeiro é preciso perceber que o projeto busca de incluir a região do Vale do Itajaí na Rede Federal Pública de Educação Superior, por meio de ações que aproximem a Universidade Regional de Blumenau (FURB) e as Universidades Federais e Institutos Federais de Educação Profissional, num contexto de expansão do Ensino Superior federal, promovido pelo governo Federal.
            A inclusão da FURB na Rede Federal Pública de Educação Superior trará para nossa região não somente a gratuidade de mensalidades para os alunos atuais 12 mil estudantes em 39 cursos de graduação 2,5 mil estudantes de pós graduação , distribuídos  em 70 cursos de especialização, além de oito mestrados e um doutorado aprovado pela CAPES, libertando a universidade da lógica perversa da lógica mercantil que transforma a educação em mercadoria.
            Por outro lado, a presença de uma universidade federal em nossa cidade contribuirá também para o desenvolvimento científico e tecnológico da região do Vale do Itajaí. O que com certeza revolucionara de forma positiva a economia de nossa Cidade.
            E o último argumento que quero trazer aqui é o de que o orçamento da FURB gira em torno de R$ 120.000.000 (cento e vinte milhões de reais). Federalizada a FURB, seriam cento e vinte milhões  de verbas do Governo federal investido na região. E o dinheiro das mensalidades que hoje os alunos investem em sua formação poderá ser investido na economia local.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Programa Sempre Um Papo com Luiz Eduardo Soares




Luiz Eduardo Soares é cientista social e antropólogo. É professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ e da Estácio de Sá. Participou do governo do Estado do Rio, de 1999 a março de 2000, na condição de subsecretário de segurança pública e coordenador de segurança, justiça e cidadania. Foi secretário nacional de segurança pública. Tem 15 livros publicados, entre eles "Elite da Tropa" (2006), o romance 'Experimento de Avelar', premiado pela Associação de Críticos Brasileiros em 96, 'Meu Casaco de General', finalista do Jabuti em 2000, onde relatou sua experiência na coordenação de segurança pública no Rio de Janeiro.Participou da autoria de "Cabeça de Porco", com MV Bill e Celso Athayde. Escreveu "Espírito Santo" com mais dois coautores.O Sempre Um Papo é um projeto de incentivo à leitura, criado há 24 anos pelo jornalista mineiro, Afonso Borges. Neste período, realizou mais de dois mil encontros com escritores do Brasil e do exterior, sempre com entrada gratuita.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

FSM 2011 Dacar Senegal Boaventura de Sousa Santos



Na avaliação do sociólogo português, protestos como os que ocorrem no norte da África e no Oriente Médio podem derrubar ditadores, mas para acabar com o capitalismo é preciso uma sinergia maior entre ações no âmbito global. "O desafio do FSM agora é se renovar e encontrar uma forma de dialogar com os cidadãos não organizados", afirmou.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Começa o Fórum Social Mundial 2011 em Dacar

            Josué de Souza

            A 11ª edição do Fórum Social Mundial foi aberta neste domingo (6) em Dacar, capital do Senegal, com a agenda de debates renovada pelos protestos pró-democracia no Norte da África e no Oriente Médio.
            Nestes dez anos o Fórum Social Mundial tornou-se o mais importante encontro de seres humanos engajados em discutir as conseqüências das relações humanas versus econômicas do planeta.
            No ano de 2003, tive a oportunidade de participar do Fórum Social Mundial em Porto Alegre/RS. Surpreendi-me primeiramente com o grande número de atividades ocorrendo ao mesmo tempo e todas de forma autogestionadas.
            Sem dúvida, desde então, o mundo mudou, o Fórum Social Mundial mudou. Em boa medida, para melhor. Se na época do nascimento do Fórum Social Mundial as idéias do neoliberalismo imperavam, os movimentos sociais estavam em baixa no mundo todo e na América Latina, a maioria dos chefes de Estado professavam a fé no deus mercado. Hoje, nos encontramos em um outro cenário.
            Avanços sociais e democráticos se concretizaram abaixo da linha do Equador. Os governos do mundo todo olham para cá em busca de modelos e ações que sirvam de inspiração, invertendo a lógica que imperou durante todo o século XX. Sem dúvida, isso se deve, em boa parte, ao processo do Fórum Social Mundial, que permitiu ao mundo descobrir a originalidade e a criatividade do campo progressista da América do Sul.
            Sendo assim, acredito que é possível construir um outro mundo, mais justo e solidário, que seja centrado no ser humano. Abaixo vídeo da marcha de abertura do FSM 2011 em Dacar.

FSM 2011 Dacar Senegal Marcha

domingo, 6 de fevereiro de 2011

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Os Professores podem ter o mesmo reajuste salarial dos senadores

Os senadores Cristóvam Buarque e Pedro Simon apresentaram em 16/12/2010 projeto de lei estendendo o mesmo reajuste salarial concedido aos senadores para o Piso Salarial Profissional Nacional para os professores da educação básica das escolas públicas brasileiras. Com o reajuste de 61,78% do aumento dos senadores, o piso salarial dos professores passará de 1.024,00 para R$ 1.656,62, valor inferior ao valor pago aos parlamentares a cada mês: R$ 26.723,13. Para o senador Cristovam Buarque, a desigualdade salarial é substancial, talvez a maior em todo o mundo, com conseqüências desastrosas para o futuro do Brasil. Na opinião do senador, a aprovação do reajuste de 61,78% para os professores da educação básica permitirá, ao Senado, uma demonstração mínima de interesse com a educação das nossas crianças e a própria credibilidade da Casa. Pelo exposto solicito que apóie o Abaixo-assinado que está disponível em: www.peticaopublica.com.br/?pi=P2010N4645 , e não deixe de divulgar.

Fonte:http://www.agecon.org.br

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Campanha do Unicef divulga ações de combate ao racismo na infância

A campanha “Por uma infância sem racismo” irá divulgar ações de combate ao racismo na infância e adolescência realizadas tanto por indivíduos quanto por organizações da sociedade civil. Basta entrar no blog da campanha (www.infanciasemracismo.org.br) e deixar o relato de histórias que valorizam a igualdade racial.
A artista e escritora Veranilda Menezes foi a primeira a ter sua ação noticiada no blog. Ela é criadora da primeira princesa e do primeiro anjo negros da literatura brasileira e divulga suas histórias em escolas e instituições do país, como também em workshops, palestras e apresentações teatrais.
Desenvolvida pelo Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), a Campanha pretende alertar sobre os impactos da prática do racismo na infância e adolescência e sensibilizar a sociedade.
No Brasil, das 530 mil crianças entre 7 e 14 anos que estão fora da escola, 330 mil são negras. Um jovem negro ainda tem 2,6 vezes mais chances de ser assassinado que um jovem branco. E de acordo com levantamento do Conselho Nacional de Justiça, 37% dos casais que aguardam por uma adoção preferem uma criança branca a uma criança negra, parda, indígena e amarela.
Além do Unicef, a Campanha é uma realização da ONG Ação Educativa, CEAFRO, Ogilyy, AW Comunição e X-Brasil, e tem a parceria de dezenas de organizações da sociedade civil.

fonte Portal Pró-Menino